Santa Elisabeth da Trindade - escritos

 imagem 001


• Só nos resta esvaziar-nos, desapegarmo-nos de tudo, para que nada mais exista senão Ele, e só Ele... É aos pés da cruz que a gente sente em profundidade todo esse vazio das criaturas, essa sede infinita d´Ele.

 

• Sim, nós lhe pertencemos totalmente, entreguemo-nos todas ao nosso predileto Jesus num generoso abandono! Fazer a sua vontade é o que há de mais belo. Ofereçamos-lhe nosso exílio. É tão doce sofrer por quem se ama...

 

• Ele nos marca com o sinete da cruz para que mais nos assemelhemos a ele... Na realidade, existem correspondências de amor que só se pode compreender na cruz.

 

• ... acaso podemos desejar alguma coisa que ele não queira? Porventura não estamos prontas a permanecer neste mundo enquanto ele quiser? Como é bonito unir, identificar a nossa vontade com a dele!

 

• Que alegria sofrer, dar algo a quem se ama.

 

• “Deus em mim,  e eu nele” deve ser o nosso lema. Que jubiloso mistério a presença de Deus dentro de nós, neste íntimo santuário das nossas almas onde sempre podemos encontrá-lo, também quando não percebemos mais sensivelmente a sua presença! Que importa o sentimento? Talvez ele esteja também mais perto, quando menos o sentimos.

 

• É aqui, no fundo da alma, que gosto de procurá-lo. Preocupemo-nos em não deixá-lo jamais sozinho, e em que a nossa vida seja uma contínua oração. Quem poderá, acaso, raptar-nos o nosso Bem-Amado ou distrair-nos daquele que nos tomou e nos fez totalmente suas? Como é grande a sua bondade!

 

• ... Os seus sofrimentos agradam muito ao seu Bem-Amado, o qual se compraz em prolongá-los desta maneira. Eles constituem o sinal da sua predileção, da sua vontade de uni-la intimamente a si.

 

• Se ele nos prova, ocultando-se à nossa alma, é porque já sabe que o amamos demasiado para que o deixemos. Por isso, deixemos que ele ofereça também a outras almas as suas doçuras e as suas consolações para atraí-las a si. E nós amemos esta obscuridade que nos aproxima dele.

 

• Se soubesse como às vezes sinto nostalgia do céu! Como gostaria de voar para lá, junto de meu Deus!

 

• Percamo-nos nessa Trindade Santa, nesse Deus todo Amor, deixemo-nos transportar nessas regiões onde não há mais do que ele, só ele!

 

• Pertencemos-lhe... deixemos que o nosso Bem-Amado nos tome e leve aonde melhor lhe aprouver... o meu coração não aguenta mais, pois está todo possuído por Ele! Mas o que estou dizendo? Ele não se apodera de nós para levar-nos para longe, Ele que está sempre dentro de nós: Ele, o “Imutável”, “Aquele que é” (Ex 3,14).

 

• ... Encontrei o meu céu na terra, nesta querida solidão do Carmelo onde estou a sós com meu único Deus. Tudo faço com ele e realizo todas as coisas com alegria divina.

 

• Aqui não há nada, nada mais que ele somente. Ele é tudo, ele basta, só se vive dele e encontramo-lo por toda parte...

 

• ... quando se sente triste, diga-o àquele que tudo sabe, que tudo compreende e que é o Hóspede de sua alma. Pense que ele se acha dentro de você como numa pequena hóstia.

 

• Durante o dia, pense às vezes naquele que está dentro de você e que tem tanta sede de ser amado. É perto dele que você sempre me há de encontrar!

 

• Veja só como é maravilhosa a união das almas! Devemos amar-nos acima de tudo o que é passageiro: então nada pode separar. Amemo-nos assim.

 

• Mesmo no trabalho, podemos rezar ao bom Deus: basta pensar nele. Então tudo se torna suave e fácil, porque não agimos sozinho, mas ali também Jesus está atuando.

 

• Amo sempre mais estas queridas grades que me constituem prisioneira do amor.

 

• Vivamos com Deus como com um amigo. Procuremos avivar a nossa fé para comunicar-nos com ele através de todas as coisas, pois assim conseguimos a santidade.

 

• ... o abandono leva-nos a Deus. Eu sou muito jovem, mas às vezes me parece que já sofri muito. Então, nesses momentos de confusão, quando o presente me era tão doloroso e o futuro me parecia ainda mais obscuro, eu fechava os olhos e me abandonava como uma criança nos braços daquele Pai que está nos céus.

 

• Não basta deter-nos diante da cruz e contemplá-la, mas precisamos recolher-nos na luz da fé, elevar-nos mais alto e pensar que ela constitui o instrumento do amor divino.

 

• A Carmelita é uma alma que contemplou o divino Crucificado, que o viu oferecer-se como vítima ao seu Pai em prol das almas; ela reflete à luz desta grande visão da caridade de Cristo e compreendeu, assim, a paixão de amor da sua alma e quis entregar-se como Ele!...

 

• ... Vivamos na intimidade com o nosso Amado, sejamos totalmente dele como ele é completamente nosso.

 

• Bem que eu quisera ser uma alma totalmente silenciosa e adoradora para poder penetrar sempre mais nele. Quisera encher-me de Sua plenitude, que pudesse dá-lo mediante a oração àquelas pobres almas que ignoram o dom de Deus!

 

• Quando contemplo a minha vida passada, descubro, como que uma divina perseguição de amor sobre minha alma. Oh! Quanto amor! Sinto-me como que esmagada sob o seu peso e só me resta calar e adorar!

 

• Quer saber como é que me comporto quando me encontro um pouco cansada? Olho para o crucifixo, e, vendo como ele se sacrificou por mim, sinto que só posso prodigalizar-me por ele e consumir-me, a fim de restituir-lhe um pouco daquilo que me deu!

 

• Oh! Se você soubesse como ele é bom, como é todo amor! Eu lhe peço que se revele à sua alma, que seja o amigo que você sempre saiba encontrar. Então tudo se esclarece e ilumina e a vida se torna algo tão belo de viver!

 

• Creio que não há nada que nos manifesta tanto o amor que está no coração de Deus como a Eucaristia. É a união consumada, é ele em nós e nós nele; e não lhe parece que isto é o céu na terra?

 

• Ele colocou no meu coração uma sede de infinito e uma necessidade tão grande de amar, que só ele pode saciar.

 

• O sacrifício é um sacramento que nos leva a Deus. Ele o envia àqueles que ama e que deseja estejam perto dele!

 

• E eu amo tanto aquele Deus que me quer ciumentamente só para si. Sinto tanto amor me envolvendo a alma! É como se fosse um oceano em que me lanço e me perco... Ele está em mim e eu nele. Só tenho que amá-lo e deixar que me ame, a cada instante, em cada coisa.

 

• Vivamos de amor, sejamos simples como ela, sempre no mais completo abandono, imolando-nos momento após momento no cumprimento da vontade de Deus, sem procurar coisas extraordinárias.

 

• Nós somos tão fracas ou, até mesmo, não somos senão miséria; mas ele sabe disso e gosta de perdoar-nos, de soerguer-nos e, depois de, de arrebatar-nos para junto de si, na sua pureza, na sua santidade infinita.

 

• Os santos são almas que se esquecem a todo instante de si, que desaparecem de tal maneira naquele que amam, que não se preocupam com sua própria pessoa...

 

• Gosto de contemplar a minha vida de carmelita nesta dupla vocação: “Virgem-Mãe”. Virgem, desposada com Cristo na fé. Mãe, salvando as almas e multiplicando os filhos adotivos do Pai...

 

• Inabalável é minha confiança em tua divina Providência... Jesus, a ti me abandono por completo.

 

• A minha alma arde e queima com a tua chama incandescente e pura; ó Espírito Santo, consome-a no teu divino amor.

 

• Visto que é impossível impor a própria vontade aos outros sofrimentos, devo também convencer-me de que o sofrimento físico e corporal não passa dum meio, aliás precioso, para chegar à mortificação interior e ao pleno desapego de nós mesmos.

 

• Procuremos Jesus mediante a pureza de nossa fé.

 

• Deus tem desígnios que nem sempre compreendemos, mas que devemos adorar.

 

• Não há outro madeiro capaz, como o da cruz, de acender com grande intensidade na alma o fogo do amor!

 

• Mais do que a Eucaristia, parece-me que não há nada que nos possa dizer o amor que existe em Deus. É a união consumada, é ele em nós e nós nele.

 

• Como é lindo ser criança do bom Deus, sempre deixar que ele nos carregue, descansar no seu amor.

 

• Jesus é o meu tudo, o meu único tudo. Que alegria, que paz este pensamento proporciona a alma.

• A alma necessita de silêncio para adorar.

 

• O sofrimento é algo tão grande e divino! Parece-me que, se os bem-aventurados no céu pudessem invejar-nos algo, invejar-nos-iam este tesouro. É uma alavanca tão poderosa no coração do bom Deus!

 

• Jesus continua sempre vivo. Vivo no adorável sacramento do tabernáculo, vivo em nossas almas... Porque vive em nós, façamos-lhe companhia como o amigo faz com o amigo!

 

• Quanto mais damos a Deus, mais Ele se dá a nós.

 

• A vida do sacerdote, como a da carmelita, é um advento que prepara a Encarnação nas almas.

 

• Com que paz, com que recolhimento Maria se aproxima de tudo e fazia todas as coisas! Assim como as coisas mais banais eram, também, por ela divinizadas! Em tudo e por tudo, a Virgem permanecia em Adoração ao bom Deus. E isto não a impedia de prodigalizar-se extremamente, quando se tratava de exercitar a caridade.

 

• A alma que quer servir a Deus noite e dia no seu templo, quero dizer o santuário interior de que fala São Paulo quando diz: “O templo de Deus é santo e esse templo sois vós”, esta alma deve estar decidida a tomar parte, realmente, na paixão de seu Mestre.

 

• A alma que vive unida a Deus não age senão sobrenaturalmente, e as ações mais corriqueiras, ao invés de separá-la Dele, aproximar-se-ão sempre mais.

 

• Oxalá soubesses como o sofrimento é necessário para que se realize em tua alma a obra de Deus!

 

• A meu ver a alma mais livre é aquela que mais esquece de si mesma. Se me perguntassem o segredo da felicidade, diria que consiste em não se preocupar mais consigo, desprendendo-o a todo momento. Eis uma boa maneira de fazer com que o orgulho morra. É como se o subjugássemos pela fome.

 

• Vivamos de amor para morrer de amor e glorificar a Deus, todo amor.

 

• Como é grande o meu desejo de reconduzir almas para Jesus! Daria a minha vida com a única finalidade de contribuir no resgate de uma daquelas almas que Jesus tanto amou.

 

• A oração é tão poderosa no coração de Deus! Rezemos com perseverança, sem desanimar, mesmo que devêssemos morrer sem sermos atendidos.

 

• O sofrimento é a escada que nos leva a Deus, ao céu.

 

• O escapulário é o emblema de Maria. A alma que o traz consigo e que, bem atendido, envida todos os esforços para salvar-se, não pode cair no inferno, pois isto é impossível.

 

• A Eucaristia é a plenitude transbordante do amor divino. Nela Jesus não nos dá apenas o seu mérito e as suas dores, mas totalmente a si mesmo.

 

• Como é maravilhoso perder-se, desaparecer em Deus! Sente-se muito bem que não se é mais que instrumento, que é Ele quem age, que é tudo.

 

• Unir, identificar a nossa vontade com a de Jesus: então somos sempre felizes, sempre contentes.

 

• No céu não podemos mais sofrer por aquele que amamos. Por isso, aproveitemos agora cada um dos nossos sofrimentos para consolar nosso Dileto.

 

Tudo é delicioso no Carmelo: encontramos o bom Deus tanto na lavanderia como na oração. Ele se encontra por toda parte! Vivemo-lo, respiramo-lo.

 

• Não ser senão um com o bom Deus, significa possuir o céu na fé, aguardando a visão face a face.

 

• Compreendi que meu céu começa na terra, o céu da fé, com o sofrimento e imolação por Aquele que amo.

 

• Como é belo dar quando se ama! E eu amo tanto esse Deus que é cioso em ter-me toda para si. Sinto tanto o amor que envolve a minha alma, é um oceano no qual mergulho e me perco.

 

• Uma alma unida a Jesus é um sorriso vivo que o reflete e expande.

 

• O orgulho alimenta-se do amor-próprio. Pois bem, é preciso que o amor de Deus tão forte, para apagar todo o amor de nós mesmos.

 

• Parece-me que no céu minha missão consistirá em atrair as almas, ajudando-as a sair de si mesma para aderir a Deus, num impulso espontâneo e amoroso, e de mantê-las naquele grande silêncio interior, que permite que Deus se imprima nelas para que as transforme em si mesmo.

 

• Tu bem sabes: sem Ti nada sou; mas, se tu me alentas, Senhor, serei capaz de todo o sacrifício.

 

• No céu de nossa alma, sejamos louvores de glória da Santíssima Trindade, louvor de amor de nossa Mãe Imaculada. Um dia cairá o véu e seremos introduzidos nos templos eternos; lá cantaremos no seio do amor infinito e Deus nos dará o nome novo prometido ao vencedor.

 

• Que fascinação experimento no sofrimento, quando o aceitamos e desejamos! Que abundante fonte de mérito! Não existe um caminho mais seguro do que a cruz. O próprio Deus a escolheu.

 

• O Rosário é a corrente que nos une a Maria, Com a prática da recitação do rosário... Maria nos estende a mão. Maria dirige a nossa barquinha sobre as ondas agitadas desta vida... E temos a certeza que chegaremos ao porto da salvação eterna.

 

• Deus em mim, e eu Nele – seja este o nosso lema.

 

• A minha alma: santuário interior no qual vivo dia e noite com aquele que é o Amigo de todos os momentos.

 

• Aqui na terra, tudo se realiza no sacrifício.

 

• Que alegria crer que Deus nos ama até o ponto de habitar em nós, de tornar-se o companheiro de nosso exílio, o confidente, o amigo de todos os momentos!

 

• Toda circunstância, todo acontecimento, todo sofrimento, como toda alegria, é um sacramento que Deus nos outorga.

 

• A oração é o vínculo das almas.

 

• O humilde jamais colocará Deus demasiado no alto ou a si mesmo demais embaixo.

 

• Se soubéssemos apreciar o valor do sofrimento, sentiríamos fome dele.

 

• A Trindade, eis nossa morada, nossa casa, a casa paterna que não devemos mais abandonar. Um dia o Senhor disse:  escravo não permanece sempre na casa, mas o filho aí mora para sempre.

 

• Não percamos um só sacrifício; há tantos que podem ser feitos durante um dia!

 

• A característica do amor consiste em não procurar jamais a si mesmo, em não reservar nada para si, mas em dar tudo Àquele que se ama.

 

• Deus tanto amou a companhia da dor que a escolheu para seu Filho, e o Filho deitou-se neste leito para harmonizar-se com o Pai neste amor.

 

• Á luz da eternidade, a alma vê as coisas no ponto certo. Oh! Como é vazio tudo o que não foi feito para Deus e com Deus!

 

• É preciso tomar consciência de que Deus se encontra no mais íntimo de nós e de enfrentar tudo com Ele. Então não somos nunca banais, sequer fazendo as ações mais comuns, porque não vivemos nestas coisas, mas vamos para além delas.

 

• Também o matrimonio é uma vocação. Quantos santos nele glorificaram a Deus.

 

• Acreditar que um Ser, chamado Amor, habite em nós a qualquer momento do dia e da noite e que nos pede que vivamos em comunhão com Ele. Eis o que transformou a minha vida num céu antecipado.

 

• Quanto mais nos damos a Deus, mais Ele se dá a nós.

 

• Dentro de mim há uma solidão onde Cristo mora, a qual ninguém poderá tira-la de mim.

 

• Se tiveres que sofrer, pensa que és ainda mais amado e dize sempre: obrigado.

 

• Creio que o segredo da paz e da felicidade consista em esquecer-se, em desinteressar-se de si mesmos.

 

• Encare todo sofrimento e toda provação como uma prova de amor que lhe vem diretamente por parte do bom Deus para uni-la a Ele.

 

• Recolha-se no íntimo de sua alma e ali encontrará o seu Dileto pronto acumulá-la de tantos favores.

 

• Nosso lema deve ser estas palavras de São Paulo: 'Nossa vida está escondida com Cristo em Deus'.

 

• Quisera gritar a todas as almas e falar-lhes da vaidade, do nada de tudo o que passa quando não é feito para Deus.

 

• A meu ver, a alma mais livre é aquela que mais se esquece de si mesma. Se me perguntassem o segredo da felicidade, diria que consiste em não se preocupar mais consigo, desprendendo-se a todo momento.

 

• Sei muito bem que o bom Deus ouve as orações dos pequenos, e eu sou sua filhinha. Ele se comporta comigo como uma mãe cheia de ternura.

 

• Como é triste ter que deixar o tabernáculo e despedir-se do Hóspede divino! Mas estás sempre comigo, estás no meu coração... único meu Dileto!

 

• Só nos resta esvaziar-nos, desapegarmo-nos de tudo, para que nada mais exista senão Ele, e só Ele... É aos pés da cruz que a gente sente em profundidade todo esse vazio das criaturas, essa sede infinita dEle".

 

• Ele nos marca com o sinete da cruz para que mais nos assemelhemos a Ele... Na realidade, existem correspondências de amor que só se pode compreender na cruz.

 

• Oh! Sinto que todos os tesouros encerrados na alma de Cristo são meus e me sinto, assim, tão rica. Com que alegria e felicidade vou abeberar-me neste manancial em favor de todos aqueles que amo e que me fizeram tanto bem.

 

• Que o amor seja o seu claustro e o carregue sempre assim consigo, pois então encontrará a solidão no meio dos ruídos e da multidão.

 

• Antes de morrer, sonho estar transformada em Jesus Crucificado, e este pensamento me dá tanta força no sofrimento.

 

• Não posso dizer que amo o sofrimento em si mesmo, mas o amo porque me torna semelhante com aquele que é meu Esposo e meu amor.

 

• Constitui uma alegria tão grande para o bom Deus ver que uma alma reconhece a própria incapacidade.

 

• Tenho profunda compaixão pelas almas que só vivem das banalidades da terra. Acho que são escravas e gostaria de dizer-lhes: Sacudi este jugo que pesa sobre vós! Que fazeis destes troncos em que estais acorrentadas, vós mesmas e as coisas mais ínfimas?

 

• Parece-me que felizes são neste mundo aqueles que muito se desprezam e se esquecem de si, para escolher a cruz como sua herança.

 

• O Mestre me lembrou que Ele é a minha moradia e que não me compete a mim escolher meus sofrimentos. Por isso me lanço com Ele no mar da dor com todos os seus receios e suas angústias.

 

• Se conhecesses o Mestre, a oração não te enfadaria mais. Na realidade, ela é um repouso, uma distensão. É dirigir-se com toda a simplicidade àquele que se ama.

 

• Parece-me que os santos são almas que a todo instante 'se esquecem', que se perdem naquele que amam, sem pensar em si mesmas, sem saudades das criaturas.

 

• Em tudo e por tudo vivamos todo momento, em comunhão com este divino Verbo Encarnado, com Jesus que mora dentro de nós e quer revelar-nos todos os seus mistérios.

 

• Oferece a Deus tudo o que fere o teu coração, confidencia-lhe tudo. Pensa que dia e noite tens alguém em tua alma, que jamais te deixa sozinha

• Depois da comunhão, possuímos o céu inteiro em nossa alma, exceto a visão dele.

 

• A piedade deve ser guiada pelo amor e não pelo temor. Trabalha-se sempre com paixão por aquele que se ama.

 

• Devemos assistir à santa missa com os sentimentos iguais aos que teríamos tido em nosso coração no Calvário.

 

• Se a oração é uma cosa tão bela e consoladora, se trabalhar para Deus é admirável, nada, contudo, pode igualar-se ao mérito e à beleza do sofrimento. Nele não há traço de amor-próprio.

 

• Também no meio do mundo podemos ouvir a voz de Deus no silêncio de um coração que só quer ser dele.

 

• Se caio a cada instante, na fé confiante farei com que Ele me levante.

 

• Ó meu Deus, pacificai minha alma, fazei dela vosso céu.

 

• É a Virgem Maria, esse ser luminoso, todo puro da pureza de Deus, que me tomará pela mão para me introduzir no céu.

 

• Maria foi tão singela em sua humildade porque viveu sempre esquecida de si mesma, desapercebida a seus próprios olhos, desapegada de si própria.

 

• Ninguém penetrou tanto a profundidade do Mistério de Cristo como a Virgem Maria.

 

• Eu quisera corresponder ao Senhor passando sobre a terra como a Santíssima Virgem, 'guardando todas estas coisas em meu coração’.

 

• Essa intimidade com Jesus, no íntimo da alma, é que foi o belo sol a iluminar minha vida.

 

• Ah, a adoração! Palavra de céu. Eu creio que se poderia definir: o êxtase de amor.

 

 

Especial Santa Elisabeth da Trindade

Contato

Endereço:
Rua Joaquim Nabuco, 1008 - Brooklin - São Paulo-SP
Tel:
(11) 5044-3664
Site:
www.carmelitasmensageiras.org.br
Email:
contato@carmelitasmensageiras.org.br

Pedido de Oração