Madre Maria José de Jesus - CRONOLOGIA

MADRE MARIA JOSÉ DE JESUS - CRONOLOGIA

 

1881 - 30 de março: casamento dos pais, João Capistrano de Abreu e Maria José de Castro Fonseca.

João Capistrano de Abreu: Um dos primeiros grandes historiadores do Brasil, produziu ainda nos campos da etnografia e da linguística. A sua obra é caracterizada por uma rigorosa investigação das fontes e por uma visão crítica dos fatos históricos. Em Fortaleza, foi um dos fundadores da Academia Francesa, órgão de cultura e debates, progressista e anticlerical, que durou de 1872 a 1875. Eleito para a Academia Brasileira de Letras, recusou-se a tomar posse. Homem excêntrico, avesso a formalidades; impôs-se pelo seu saber, pela profundidade de sua cultura

Maria José de Castro Fonseca: pianista de grande talento. Falava 7 idiomas.

1882 - 18 de fevereiro: nascimento de Honorina de Abreu, ao meio-dia;
              12 de março: batismo.
              Fim de março: Capistrano muda-se com a família para a casa dos sogros.

1883 - 16 de outubro: nascimento de Adriano, irmão.

1884 - 29 de abril: nascimento de Fernando, irmão, chamado de “Abril” na intimidade.

1889 - 5 de fevereiro: nascimento de Henrique, irmão.

1891 - 19 de dezembro: nascimento de Matilde, irmã.
            31 de dezembro: morte da mãe, aos 33 anos, em consequência do parto. Febre puerperal. Pede ao marido de que não dê madrasta aos filhos, no que é atendida. A avó, D. Adélia Josefina de Castro Fonseca, mulher de extraordinária inteligência, assume a educação dos netos. Dela Honorina herdará a veia poética. Os meninos ficam com o pai numa pensão. As meninas com a avó.

1893 - 15 de agosto: Henrique morre de tifo aos 4 anos.
              Após a Revolta de 1893: Honorina ingressa no Colégio da Imaculada Conceição, das Irmãs da Caridade, em Botafogo, RJ.

1894 - 15 de agosto: 1ª comunhão de Honorina.

1896 - Final do ano: termina o curso no colégio, recebendo prêmio de honra.

1897 - Férias: passa-as com os primos Souza Leão, em Petrópolis.

1902 - Durante o ano: Honorina abandona a vida elegante na Sociedade. Conversão. Primeiro abandona os salões festivos e, pouco a pouco, mas de modo incisivo e radical, vai se desfazendo daquela elegância tomada de empréstimo às primas. Aproxima-se dos sacramentos e toma direção espiritual.

1903 - Durante o ano: morte do avô materno. Honorina faz mais companhia à avó, sua 2ª mãe. Passam por dificuldades financeiras e vão morar com os primos Berenger por 2 anos. Honorina lança-se aos pés de N. Senhora para alcançar forças para uma mudança radical de vida. Ingressa na Pia-União das Filhas de Maria, entrega-se a exercícios de piedade, dedicando-se à catequese.

1904 - Inicio do ano: Capistrano aluga o prédio vizinho aos Berenger para a sogra e filhas. Ele continua com os filhos na pensão, mas tomando as refeições com a sogra.

1906 - A partir deste ano: começa a preparar sua entrada para o Carmelo. Pede ao irmão Abril que venha morar com a avó.

1909 - 28 de agosto: data do “imprimatur” da Imitação de Cristo traduzida por Honorina do latim e editada pela Livr. Garnier, o prefácio é de sua autoria. Traduziu também a vida de São Luís Gonzaga.
            Durante o ano: faz seu apostolado junto a ex-religíosas doentes que viviam em deplorável estado, em Niterói. Limpava-lhes as feridas e a moradia.

1910 - Março: Capistrano escreve ao amigo I. B. Pandiá Calógeras: “Honorina já encontrou seu destino!”
              29 de dezembro: comunica, por carta, ao pai (que estava ausente do Rio, seu desejo de entrar para o Carmelo imediatamente. Por longos anos esperara por respeito à avó, que estava agora com 83 anos. D. Adélia teria o amparo de Abril e de Matilde, nos seus 19 anos.

1911 - 2 de janeiro: conversa íntima com o pai, que lhe pede para adiar a entrada enquanto a avó for viva. Leva-a a Friburgo para descansar na casa de uma amiga.
            8 de janeiro: Capistrano recebe uma carta de Honorina comunicando-lhe que entrará dia 10 e implorando-lhe que vá assistir à sua entrada no Convento de Sta. Teresa, RJ. Honorina passa os últimos dias hospedada no recinto externo do Mosteiro.
              10 de janeiro: entrada no Carmelo, com 29 anos. Festa da Sagrada Família. Abraça seu pai pela última vez. Após a entrada no Carmelo, o pai nunca a visitará. Mesmo sem concordar, nunca se oporia à sua entrada. No Carmelo, recebe o nome de Ir. Maria José de Jesus, em memória de sua mãe.

“Nunca pus os pés no Convento, e, enquanto estiver de juízo perfeito, lá não irei”. Disse-lhe que “pensava tão pouco em ir falar-lhe através das grades como em entender-me com a mãe pelo espiritismo”.
               19 de março: recebe o hábito da Ordem.

1912 - 21 de março: emite os votos perpétuos, conforme o costume da época.
              25 de março: (Festa de N. Sra. do Desterro, orago - patrono - da igreja do Carmelo) recebe o véu preto.
              Após a profissão: é nomeada “Anjo” do noviciado, isto é, ajudante da Mestra de Noviças.
              Durante o ano: a pedido da Priora, volta a escrever poesias.

1913 - março: é confirmada como “Anjo” do noviciado, e aí permanece.
            Durante este ano: é estabelecida definitivamente no “caminho do amor”.

1914 - Abril: assume a responsabilidade do noviciado, embora sem o título de Mestra.

1915 - 25 de março: votos solenes.

1917 - Abril: eleita Priora por unanimidade (com 35 anos e 6 de Vida Religiosa) — lº priorado.
              Maio: casamento da irmã Matilde. Abril e esposa passam a morar com D. Adélia para ampara-la.
              Meados do ano: Honorina com problema de saúde: asma, bronquite, insônias, gripes frequentes.

Aplicou a Liturgia das Horas de modo completo

Aconselhada pelo Padre Geral, pediu ao Mosteiro de São José de Ávila as Constituições, modelos de véus, de alpercatas, costumes próprios da Ordem.

1918 - 24 de outubro: morre Abril, vítima da gripe espanhola.

1920 - 28 de abril: Mestra de Noviças.
              9 de dezembro: D. Adélia morre de câncer, aos 93 anos.

1921 - Quaresma: devoção às dores de N. Sra. Intensa vida espiritual.

1923 - 21 de abril: Priora — 2º priorado.

1925 - 15 de outubro: compõe o Ato de Consagração a Maria: “Dom de mim”.

1926 - 21 de abril: Mestra de Noviças.
              13 de agosto: morte de Capistrano de Abreu, de pneumonia.

1929 - Abril: Priora — 3º priorado. Permanece Mestra de Noviças.

1931 - Outubro: Ato de Desagravo ao Cristo Redentor do Rio de Janeiro.

1932 - Abril: Priora — 4º priorado. Permanece Mestra de Noviças.

1933 - Durante o ano: alma abrasada de caridade divina. Grande graça: sente-se investida pelo Espírito Santo. Aprofundamento da vida de oração.

1935 - Janeiro: grandes graças por intermédio de Sta. Teresa Margarida.
             Abril: Mestra de noviças (deixa o priorado).

1936 - Maio: início da tradução das obras de Sta. Madre de Jesus, trabalho que executará até as vésperas de sua morte.

1937 - 21 de março: jubileu de prata de profissão.

1938 - Abril: Priora — 5º priorado.

1939 - Durante o ano: o Convento passa a ser Patrimônio Histórico Nacional. Me. Maria José escreve ao diretor responsável para que preserve a clausura. Carlos Drummond de Andrade publica em dois jornais da cidade uma apreciação elogiosa a essa carta.

1940 - Durante o ano: graça mística, aumento da devoção ao Espírito Santo.

1941 - 21 de abril: Priora por unanimidade — 6º priorado.

1944 - Abril: Mestra de Noviças.

1945 - Durante o ano: nova graça mística ligada a uma migalhinha da hóstia.
              3 de junho: sai para a fundação do Carmelo de Teresópolis, onde fica “emprestada” por um ano.

1946 - Durante o ano: volta para o Convento de Sta. Teresa. Isa, sua sobrinha, funda uma Congregação religiosa, filiada ao Carmelo.

1947 - Abril: Priora — 7º priorado.

1948 - Durante o ano: piora muito do reumatismo.

1949 - 16 a 23 de dezembro: vai para o hospital para tratamento ortopédico (duchas nos pés).

1950 - Abril: Mestra de Noviças.

1952 - 12 de fevereiro: morre seu irmão Adriano, que recebe os sacramentos no último momento.

1953 - Abril: Priora — 8º priorado.

1954 - Princípio do ano: início da correspondência com Thomás Merton, escritor e monge trapista. Remete-lhe hóstias e livros.

1955 - 18-29 de março: durante seu retiro particular, avança na trajetória do amor.

1956 - Abril: Priora — 9º priorado (5 anos de priorado).

1957 - Dezembro: é dispensada de toda a observância regular por falta de saúde. Início de sua paixão dolorosa.

1958 - 25 de maio: primeiro distúrbio do miocárdio.
             16-25 de junho: com bastante sacrifício consegue seguir o retiro da comunidade, pregado por um jesuíta.
             22-31 de outubro: internada no Hospital da Beneficência Portuguesa para exames clínicos.
             9 de dezembro: não apresentando melhoras, é internada no Sanatório Santa Juliana para tratamento especializado.
               18 de dezembro: é submetida a insulinoterapia.

1959 - 28 de fevereiro: o Convento recebe comunicação do Sanatório de que, “na última terça-feira”, tinham cessado com a insulinoterapia porque a Madre tivera crise convulsiva durante o tratamento.
              11 de março: às 7 horas e alguns minutos, morre de uma síncope cardíaca.

 

 

 

Fonte: Madre Maria José de Jesus no Caminho da Perfeição

Ler 2228 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Contato

Endereço:
Rua Joaquim Nabuco, 1008 - Brooklin - São Paulo-SP
Tel:
(11) 5044-3664
Site:
www.carmelitasmensageiras.org.br
Email:
contato@carmelitasmensageiras.org.br

Pedido de Oração